Osteopatia: aliada na dor lombar

6 maio 2020 | Notícias | 0 Comentários

A dor lombar é uma das principais causas, no Brasil, de idas ao médico. Estima-se que cerca de 70% da população sofra deste mal – em algum momento da vida ou de maneira crônica. Há diferentes fatores que podem ocasionar a dor – mecânicos, aderências cicatriciais, dores referidas viscerais (útero) –, e muitas as possibilidades de tratamento. Uma delas é a osteopatia. “O grande diferencial da osteopatia é que ela trabalha em cima de todas as possíveis causas e, portanto, auxilia a entender de onde está vindo a dor (porque atua no fator causal da dor e não apenas nos sintomas), para poder intervir de maneira mais eficiente”, explica o fisioterapeuta e osteopata Dr. Leandro Reche.

A osteopatia parte do princípio de que, sempre que alguma região do corpo não se movimenta bem e, por isso, está fora de sua performance ideal, o organismo se manifesta. É necessário restaurar este movimento para solucionar o problema. “Costumo usar como analogia o funcionamento de uma equipe de remo, em um barco. Se um dos remadores parar, os outros membros do time é que sentirão os efeitos da sobrecarga, e não a própria pessoa que parou. No nosso corpo também é assim.”

Na osteopatia, o tratamento parte de uma avaliação extremamente detalhada e é totalmente manual e natural, sem o uso de medicamentos. Esta avaliação inclui uma análise completa do paciente – de seu histórico de traumas, alterações orgânicas (como sistema visceral, sono e alimentação) e sua prática de atividades física – e diferentes testes de movimentos para entender por que ele está tendo dor. Depois deste diagnóstico, começa o tratamento efetivamente, que é 100% manual.

Em dores lombares, normalmente o tratamento é rápido e inclui poucas sessões. “O intervalo entre elas deve ser de no mínimo uma semana, e a média para sentir uma melhora bem considerável dos sintomas é de 3 a 4 sessões”, explica o fisioterapeuta, que ressalta que a osteopatia pode ser também preventiva. Por promover, manualmente, o alinhamento do sistema musculoesquelético, ela pode ser utilizada antes que a dor lombar crônica se instale. “Procure um osteopata quando surgirem os primeiros desconfortos, para uma avaliação”, diz Leandro.

0 comentários

Enviar um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Abrir conversa
Precisa de ajuda?
Olá,
Como posso te ajudar?